A Capital Nacional da Esquadria Da Madeira é aqui!

Porto União, em Santa Catarina, e União da Vitória, no Paraná, formam o maior polo de produção de portas e janelas de madeira no Brasil, com mais de 20% da produção nacional.
 
Quem passa por aqui, e não conhece a região, encontrará uma cidade de pouco menos de 100.000 habitantes, mas que, ao observar mais atentamente, notará que ela é divida em duas por uma estrada de ferro que passa exatamente na área central. Conhecidas como Gêmeas do Iguaçu, Porto União, do lado sul, fica no estado de Santa Catarina e União da Vitória, do lado norte, fica no estado do Paraná. Nenhuma outra região no país concentra tantas fábricas de portas e janelas de madeira e que vendem seus produtos no mercado interno como exportam para dezenas de países.
 
Localizadas em uma das regiões de maior preservação de floresta nativa do sul do Brasil, os municípios de União da Vitória e Porto União vêm se tornando modelos de desenvolvimento econômico sustentável em uma região onde a industrialização da madeira é praticada há pelo menos um século. São quase 200 indústrias que garantem cerca de 15 mil empregados e produzem mais de 20 diferentes produtos como compensados, móveis, casas pré-fabricadas, pisos, portas e janelas de madeira, entre outros.
O destaque fica por conta das indústrias de portas e janelas de madeira que, com uma produção estimada de 30% da produção nacional, consolidaram nacionalmente a região como a “CAPITAL NACIONAL DA ESQUADRIA DE MADEIRA” ao unirem qualidade, beleza, sofisticação em cada peça produzida em diversos modelos, tamanhos e variedades de madeira. Sempre acompanhando as últimas tendências de design.
 
Foi com o objetivo de aumentar a produtividade, melhorar a qualidade de seus produtos e oferecer os melhores preços que, em 2001, com o incentivo e apoio do SEBRAE – Serviço de Apoio a Micro e Pequenas Empresas, foram iniciados os trabalhos que culminaram com a implantação da APL – Arranjo Produtivo Local – da Madeira. Juntas, essas indústrias participam de congressos, feiras, rodadas de negócios, workshops, treinamentos e palestras específicas ao segmento madeireiro, além de parcerias com fornecedores, intercâmbios de informações e conhecimentos em busca de constante melhoria da qualidade, elevação do nível tecnológico e qualificação de mão de obra especializada.
 
Para garantir competitividade nos mercados nacionais e internacionais, as empresas participam regularmente de missões ao exterior para observar tendências e novidades tecnológicas que podem vir a ser aplicadas na fabricação de seus produtos.